Polícia indicia médica acusada de matar professora de balé atropelada por homicídio culposo

A médica Rute Nunes Oliveira Queirós foi indiciada por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, por conta da morte da professora de balé Geovanna Alves Lemos, 41 anos, em 15 de março deste ano no bairro da Pituba. A informação foi confirmada pela assessoria da Polícia Civil. A polícia entendeu que Rute foi responsável pelo acidente que provocou a morte da vítima, mas que não houve a intenção. Geovanna estava na garupa de um mototáxi e morreu depois de ser atingida pelo carro modelo Kia Sportage, conduzido pela médica. Com o impacto da colisão, os dois veículos atravessaram o canteiro e foram parar no retorno seguinte. De acordo com o Correio, o inquérito assinado pela delegada Maria Andrade, plantonista da 16ª Delegacia (Pituba), foi encaminhado no início desta semana ao Ministério Público Estadual (MP-BA). A delegada indicou também Rute por lesão corporal culposa, já que o motaxista ficou ferido no acidente. O laudo concluiu que foi um acidente e não houve intenção da médica de matar a professora de danças e ferir o motoboy. Geovanna e o mototaxista estavam de capacete no momento da batida. As perícias de local do acidente e do carro apontaram que Rute não usava o celular na hora do acidente, segundo laudo. Além disso, as testemunhas ouvidas durante a investigação não relataram que a médica estava usando o aparelho quando houve a colisão. Rute chegou a ser presa, mas foi libertada após pagar fiança de R$ 4 mil. Essa semana o BNews publicou reportagem com a mãe da vítima. Uma semana do Dia das Mães, Glovildes Alves Santos, a 'Tia Vida' ou ‘Dona Vidinha’, concedeu a entrevista e disse que vive a angústia de não ter respostas para a perda da única filha. (BNews)

Procurar Notícias

©Site fundado em 15/01/2013 - Por: *Valter Egí - Todos os direitos reservados à Feira News*