Saiba como cuidar da pele no inverno

Chega o inverno é aquele terror: além de sinusite, rinite, bronquite, resfriado e dor de garganta, temos de aguentar a sensação horrorosa de pele e lábios rachando. Isso fora algumas alergias e o frio propriamente dito. Tatiane Curi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que nesse tempo mais frio, a camada da pele conhecida como manto hidrolipídico (formada por água e lipídios) fica mais fragilizada. A formação desse envoltório de proteção depende da atividade das glândulas sebáceas e de suor, que funcionam menos durante o inverno, diz Denise Steiner, professora titular da Universidade de Mogi das Cruzes e também membro da SBD. Água quente, bucha e sabonete estão na raiz do problema, afirmam as médicas. Como boa parte das pessoas pode não achar que abandonar o hábito do banho diário seja boa ideia, há outros meios de atenuar o problema (felizmente): Banho rápido; Água morna (ou fria); Não usar bucha; Preferir sabonetes neutros, líquidos e com hidratantes; Lavar vigorosamente só virilha, axilas e pés; Nas outras áreas, evitar contato direto com o sabonete; Usar hidratante (há opções que podem ser usadas no banho); Enxugar bem as dobras para evitar os fungos oportunistas. Algumas pessoas, especialmente entre os idosos, precisam de cuidados mais intensos. Se a pele estiver rachada e descamando, podem ser necessários produtos que contêm emolientes (como ureia e lactato de amônia) e hidratantes oclusivos, que evitam a perda de água (como vaselina e glicerina). A caspa também costuma dar as caras nessa época. Para combater a versão oleosa, é importante lavar a cabeça frequentemente e com produtos adequados (sempre com água morna ou fria). No caso da caspa seca, deve-se evitar xampus abrasivos, que ressecam o couro cabeludo. Em ambos os casos, é crucial secar bem o cabelo antes de dormir para evitar a proliferação de fungos. Na guerra contra os pelos, a pele sofre. Quando o homem faz a barba (hábito muitas vezes diário), acumulam-se lesões que podem gerar foliculites -inflamações do folículo piloso, onde nasce o pelo. Algumas loções pós-barba com anti-inflamatórios e águas termais podem aliviar a situação, mas vale a consulta com um dermatologista para saber qual é o melhor tratamento. Em casos mais graves, podem ser recomendadas preparações com antibióticos. Com o uso de calças e roupas agarradas, especialmente as mulheres podem sofrer com foliculites nas pernas e no bumbum. Também há a queratose pilar (bolinhas que às vezes surgem nos braços), condição que agravada quando a pele não respira. Outras doenças que podem se agravar no inverno são psoríase e herpes. Com informações da Folhapress.

Procurar Notícias

©Site fundado em 15/01/2013 - Por: *Valter Egí - Todos os direitos reservados à Feira News*