Cabral recebe a maior pena da Lava Jato na 7ª condenação

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) teve sua pena ampliada nesta terça-feira (11). Ele foi condenado pelo juiz Marcelo Bretas a 47 anos e quatro meses de prisão na ação penal em que é acusado de receber uma mesada da empreiteira Carioca Engenharia. Essa é a maior pena já aplicada em processos decorrentes da Lava Jato, superando outra imposta ao próprio emedebista, de 45 e dois meses. Cabral já acumula 170 anos e oito meses de prisão após sete condenações. O ex-governador é alvo de, no total, 25 denúncias, segundo informações da Folha. De acordo com o MPF, o ex-governador recebeu em seu primeiro mandato R$ 200 mil por mês e no segundo, R$ 500 mil da empreiteira. As investigações apontam benefícios na obra da linha 4 do metrô, PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) das Favelas e Arco Metropolitano. De acordo com a denúncia, Cabral recebeu R$ 39 milhões da Carioca Engenharia em troca da execução das obras no Estado. Em interrogatório, o emedebista havia negado ter recebido propina. Disse que a Carioca contribuiu para o caixa dois de suas campanhas bem como de aliados. Ele reconhece, contudo, ter usado para fins pessoais o que chama de “sobras de campanha”. Cabral está preso desde novembro de 2016, acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. (bahia.ba)

Procurar Notícias

©Site fundado em 15/01/2013 - Por: *Valter Egí - Todos os direitos reservados à Feira News*