Além das exonerações na Esplanada, governo vai rever 139,7 mil contratos

Devido a mudança na estrutura do Executivo no governo Bolsonaro, que extinguiu e fundiu ministérios, milhares de contratos serão revisados. De acordo com dados do Ministério da Economia os ministérios agregam vários CNPJs e com a união de vários deles, não se sabe quem ficará responsável pela administração dos contratos e como será a renegociação, pois se suspeita de superfaturamento e de serviços não prestados. O economista José Luís Oreiro, professor da Universidade de Brasília (UnB), acredita que é natural que um processo tão amplo de reestruturação na Esplanada demande tempo e atenção. Ele lembra que a adequação do caixa de um único ministério criado pelo ex-presidente Michel Temer, o da Segurança Pública, levou quatro meses. "Portanto, o processo de unificação de quatro pastas no Ministério da Economia deve levar muito mais tempo que isso”, completa. A perspectiva é de que o trabalho de revisão dos contratos e a adequação deles à nova estrutura do governo leve pelo menos seis meses. “Seremos criteriosos com tudo. Nada será feito com atropelos, até para evitar demandas judiciais", relata um auxiliar de Paulo Guedes. (Metro1)

Procurar Notícias

©Site fundado em 15/01/2013 - Por: *Valter Egí - Todos os direitos reservados à Feira News*