Manifestantes protestam após caso de discriminação racial em agência da Caixa

Manifestantes fizeram uma mobilização, na tarde desta terca-feira (26), contra a agressão sofrida por Crispim Terral, no último dia 19, na Caixa Econômica Federal do Relógio de São Pedro, em Salvador - mesmo local onde ocorreu o protesto. Durante a manifestação pacífica, as pessoas que participavam do protesto gritavam palavras de ordem e discursava para os manifestantes e clientes do banco. Ao BNews, Gilmar Santiago, presidente do PT em Salvador, afirmou que é necessário protestar contra essas agressões que estão sendo repetitivas. Ele explicou que, antes, o negro era olhado com desconfiança ao entrar em um banco, supermercado ou loja. "Agora estão indo além, estão indo para agressão". O economista Washington Dias afirmou que atos racistas não são pontuais, já que as relações sociais no Brasil estão estruturadas no racismo e que é importante denunciar e se manifestar. "A gente tem um banco estatal, que se juntou com a polícia do Estado, a Policia Militar , para praticar um ato racista contra um dos nossos. Não podemos nos calar", ressalta. Um dos manifestantes afirmou que um funcionário de banco disse que o gerente envolvido na confusão não era mais gerente da Caixa do Relógio de São Pedro, mas a informação não foi confirmada pela assessoria de comunicação. (Bocão News)

Procurar Notícias

©Site fundado em 15/01/2013 - Por: *Valter Egí - Todos os direitos reservados à Feira News*