Estou cada vez mais apaixonado por Trump, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que está cada vez mais apaixonado pelo colega americano, Donald Trump.

Desde terça-feira (30), Bolsonaro tem feito afagos ao presidente dos EUA que fez elogios a ele e ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente brasileiro que deve ser indicado como embaixador em Washington na semana que vem.

“Depois daquele elogio do Trump de ontem [quarta], estou cada vez mais apaixonado por ele”, afirmou Bolsonaro após cerimônia de troca da Grande Guarda Presidencial.

Antes, disso, ele esteve reunido com Wilbur Ross, secretário de Comércio dos EUA, e com quem disse ter tido um encontro excelente e na linha do diálogo que já havia tido com Trump. Ross se encontraria ainda nesta tarde com o ministro Paulo Guedes.

“Estamos nos aproximando”, afirmou, Bolsonaro, que disse considerar o comércio entre os dois países ainda “muito fraco”.

Na terça, Ross disse que um acordo de livre-comércio entre o Brasil e os EUA não pode destoar da aliança do Mercosul com os europeus.

O secretário afirmou que não há nada no acordo com os europeus que seja contraditório com um acordo com os EUA e citou como exemplos questões que os americanos têm com a União Europeia sobre padrões nos setores automotivo, farmacêutico e alimentício.

Ross alertou também para possíveis armadilhas no acordo fechado com a UE. Ainda segundo o secretário, a discussão sobre um livre-comércio com os EUA só vai começar após os países avançarem em outros pontos.

pelo colega americano, Donald Trump.

Desde terça-feira (30), Bolsonaro tem feito afagos ao presidente dos EUA que fez elogios a ele e ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente brasileiro que deve ser indicado como embaixador em Washington na semana que vem.

“Depois daquele elogio do Trump de ontem [quarta], estou cada vez mais apaixonado por ele”, afirmou Bolsonaro após cerimônia de troca da Grande Guarda Presidencial.

Antes, disso, ele esteve reunido com Wilbur Ross, secretário de Comércio dos EUA, e com quem disse ter tido um encontro excelente e na linha do diálogo que já havia tido com Trump. Ross se encontraria ainda nesta tarde com o ministro Paulo Guedes.

“Estamos nos aproximando”, afirmou, Bolsonaro, que disse considerar o comércio entre os dois países ainda “muito fraco”.

Na terça, Ross disse que um acordo de livre-comércio entre o Brasil e os EUA não pode destoar da aliança do Mercosul com os europeus.

O secretário afirmou que não há nada no acordo com os europeus que seja contraditório com um acordo com os EUA e citou como exemplos questões que os americanos têm com a União Europeia sobre padrões nos setores automotivo, farmacêutico e alimentício.

Ross alertou também para possíveis armadilhas no acordo fechado com a UE. Ainda segundo o secretário, a discussão sobre um livre-comércio com os EUA só vai começar após os países avançarem em outros pontos. (Bahia Notícias)

Procurar Notícias

©Site fundado em 15/01/2013 - Por: *Valter Egí - Todos os direitos reservados à Feira News*